Seja para os turistas ou moradores locais, a Cidade da Pérola oferece ótimas praias, atividades culturais e um rico ecoturismo. Por conta disso, muitos se encantam e acabam buscando casas em Rio das Ostras para permanecer durante o veraneio.

Sua localização em zona de Mata Atlântica leva as instituições locais a investirem em formas sustentáveis de crescimento e conservação dos ideias ecológicos. Através da criação de Zonas Especiais de Negócio, a prefeitura ordena as atividades empresariais da cidade de modo que as áreas de proteção ambiental não sofram o impacto da industrialização. Pela ação da Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, em conjunto com o Centro de Educação Ambiental, o Espaço Socioambiental Ipê Amarelo, os Parques Municipais e de Pássaros e a Gerência de Resíduos há o esforço pela manutenção da preservação dos recursos naturais da região.

Já quando falamos em atrações ecológicas de cunho turístico e educativo, a cidade inclui em seu catálogo de atrações como o seu parque natural de pássaros e um sítio arqueológico com peças que datam mais de 4 mil anos. Estes e outros pontos são paradas obrigatórias para aqueles que valorizam os encantos da natureza e para os curiosos fãs de biologia. No post de hoje, reunimos seis ideias de passeios para realizar em família ou com os amigos a fim de explorar a riqueza natural da região. Confira:

1) Parque Natural Municipal dos Pássaros

Com mais de 160 aves da região Sudeste do Brasil, o Parque Natural Municipal dos Pássaros é responsável por abrigar um dos maiores viveiros de aves nativas no país. A fim de simular os mais diversos ecossistemas do Bioma da Mata Atlântica, o parque conta com mais mais de 48 mil metros cúbicos em uma localização estratégica, no coração da zona urbana.

A visita é bastante indicada para famílias e escolas pois oferece uma bela proposta de educação ambiental para crianças. Mais do que o viveiro, conta com oficinas de arte e ecologia através do Projeto Natureza e Arte, que também apresenta artistas locais para a comunidade. Também existem diversas trilhas ecológicas conectando diferentes partes do parque. Nelas é possível admirar a vegetação de restinga, típica da região, e o canto dos pássaros.

2) Monumento Natural dos Costões Rochosos

Entre a Praia da Joana e a famosa Praça da Baleia, encontra-se uma extensa de rochas conhecida como Monumento Natural dos Costões Rochosos. Por conta de sua rica fauna marinha e flora nativa, o espaço foi reconhecido pela prefeitura como reserva ecológica, e pode ser visitado de maneira controlada pelos turistas e moradores, que buscam aproveitar a bela vista, perfeita para fotografias.

A formação rochosa do costão possui mais de dois bilhões de anos, como comprovado através de estudos geológicos das rochas, minerais e solo. São um exemplo da imensidão de nosso mundo e da insignificância do tempo de existência do Homo Sapiens frente aos bilhões de anos de existência do Planeta Terra.

3) Lagoa de Iriry

Conhecido popularmente por Lagoa Coca-Cola, por conta de sua característica água escura originada pela grande quantidade de iodo devido a vegetação ali existente, a Lagoa Iriry é um dos pontos turísticos mais visitados de Rio das Ostras. Nela, os turistas e moradores podem se banhar sem muitas preocupações e também aproveitar as trilhas e o mirante a 20 metros de altura. A orla próxima ao espelho d’água é pavimentada e repleta de quiosques, com boas opções de petiscos. O estacionamento é de fácil acesso.

O local é ótimo para se visitar em família e com crianças, ressaltando apenas o cuidado com a profundidade da lagoa. A localização também possibilita a visita a Praia de Iriri, em frente a lagoa.

4) Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba

Inaugurado para o público no final dos anos 90, o sítio arqueológico vinha sendo explorado pelo Instituto de Arqueologia Brasileira desde 1967, quando ganhou o nome de Sambaqui da Tarioba. De origem tupi guarani, Sambaqui significa “acúmulo de conchas” e Tarioba “concha em forma de folha”.

Recentemente, o museu do sítio passou por uma revitalização e é aberto a visitação. Em seu acervo há exposição permanente de peças catalogadas por época, origem e denominação, em reconstituição da pré história da região.  Estas peças variam de restos de esqueletos, adornos, ostras gigantes, conchas, pedras e outros objetos que comprovam a existência de uma civilização na região entre 4 e 2 mil anos atrás.

A visita é gratuita e uma bela forma de conhecer mais sobre o passado histórico de alguns dos primeiros moradores do nosso território brasileiro. Serve como um passeio educativo para todas as idades.

5) Parque Municipal de Rio das Ostras

Além do Parque Municipal de Pássaros, a Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca de Rio das Ostras administra o antigo horto florestal da cidade. Com aproximadamente 129.878 m² de área verde aberta à visitação, o parque é composto por trilhas e áreas recreativas para piquenique e entretenimento infantil. Há também oito viveiros de mudas e um bromeliário.

O maior objetivo da Secretaria frente ao Parque é o estímulo ao interesse pela preservação do meio ambiente. Este se dá essencialmente pelo projeto Nosso Bosque, onde visitantes podem plantar árvores nativas, tais como a Aroeira, o Ipê e o Pau-Brasil e colaborar com a criação de novas áreas verdes no município. São cerca de 15 mil árvores manejadas por mês, entre as produzidas ali e recebidas por medida compensatória ambiental.

6) Reserva Biológica União

A cerca de 30 minutos do centro da cidade, na fronteira com Macaé e Casimiro de Abreu, estende-se por mais de 2.548 hectares de Mata Atlântica a Reserva Biológica União. Administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, a Reserva só permite visitas com finalidade educativa, em grupos de no mínimo 10 e no máximo 20 pessoas, com agendamento prévio por e-mail ou telefone, conforme Lei nº 9.985/00 – SNUC.

Nela, é possível observar parte da mata primária da Mata Atlântica com exemplares de vinhático, jequitibá, xaxim, palmito entre outros. A região possui a maior riqueza e diversidade vegetal entre todos remanescentes no estado do Rio de Janeiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *