Cachoeira Santa Bárbara na Chapada dos Veadeiros: guia completo

A cachoeira Santa Bárbara na Chapada dos Veadeiros é um dos pontos turísticos mais visitados da região. Sobretudo, mesmo com tantos passeios na região, sua água bastante azul clara, uma queda de aproximadamente 30 metros e uma vegetação linda em seu entorno, torna o lugar uma preciosidade no meio do gigantesco cerrado.

Portanto, nessa publicação iremos disponibilizar diversas dicas sobre a região, desde como chegar até o local, alimentação, hospedagem, entre outras coisas. Essas dicas são fundamentais para os turistas de primeira viagem pela região, facilitando bastante o caminho de muita coisa.

A aventura pela cachoeira Santa Bárbara vai ser completa se você seguir nossas dicas!

Cachoeira Santa Bárbara na Chapada dos Veadeiros

Onde fica a cachoeira Santa Bárbara

Para você chegar até a cachoeira de Santa Bárbara, você deve seguir caminho até o Vilarejo de Engenho 2, que fica no município de Cavalcante, em Goiás.

Então, localizado na zona rural, esse vilarejo é uma propriedade privada e é necessário fazer o pagamento para entrar. Dentro dela, existem guias credenciados através do centro turístico da própria comunidade, que levarão os turistas até os passeios.

Em suma, o local é bastante tranquilo, cercado de muita natureza e simplicidade. Sobretudo, dentro da propriedade é possível ver diversas casas, famílias, e muita população que vive na região faz bastante tempo.

Como chegar na Chapada dos Veadeiros

Para você chegar até a Chapada dos Veadeiros, você terá basicamente 3 opções:

  • Para quem vem de longe, o mais recomendado é desembarcar no Aeroporto Internacional de Brasília, e depois alugar um carro até a Chapada dos Veadeiros. O trajeto tem cerca de 220 km.
  • Uma outra opção, é a ida de ônibus até Alto Paraíso de Goiás, com a empresa Real Expresso, saindo de Brasília. Os horários não são tão legais e muita gente reclama. O valor fica em torno de 50 reais.
  • Para quem mora mais perto, o recomendado é ir de carro até Cavalcante, Alto Paraíso de Goiás ou São Jorge, seguindo pela BR-020.

Comunidade Kalunga

A comunidade Kalunga é pertencente aos quilombolas, que construíram sua cultura a mais de 300 anos no Brasil. Portanto, os moradores de Kalunga vivem através do turismo e com isso, conseguem preservar e cuidar da região.

O local faz parte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e contém muita natureza ao seu redor.

Para você chegar até a comunidade e ir até a Cachoeira Santa Bárbara, basta ir até a cidade de Cavalcante. Então, na cidade você pode procurar um Centro de Atendimento ao Turista, que irá te ajudar a encontrar a estrada que liga até a comunidade.

A partir de Cavalcante, você entrará em uma estrada de terra de aproximadamente 27 quilômetros, chegando até o destino final, que é a comunidade Kalunga.

Em suma, dentro da comunidade você será muito bem recebido pelos moradores, irá pagar uma taxa de visitação e ir até o estacionamento do parque.

Os passeios dentro da comunidade, incluindo até a cachoeira Santa Bárbara, contêm trilha e parte com carro 4×4 disponibilizado pelos próprios quilombolas. Recomendamos levar boné e bastante protetor solar, pois grande parte da trilha é feita em pastos, no qual o sol prejudica bastante.

Cachoeira Santa Barbarazinha

Taxa de visitação

A taxa de visitação para a Cachoeira Santa Bárbara é de 20 reais por pessoa, que ajuda no cuidado e na preservação, tanto da cachoeira como das trilhas.

Como contratar um guia para a visitação

Quando você chegar na comunidade, irá até o CAT da própria Comunidade Kalunga, no qual te ajudarão e formarão grupos para os passeios.

Os guias são credenciados e o valor é de 120 reais para um grupo de 8 pessoas, no qual, te ajudarão ir até a cachoeira Santa Bárbara e mais algum passeio, entre a Cachoeira Capivara ou a Candaru.

Os guias são simpáticos e conhecem bastante do local. Os passeios funcionam entre as 7h e 17h, mas recomendamos chegar cedo, pois dependendo das datas, o lugar enche bastante.

Conheça também a Cachoeira do Tabuleiro, em Minas Gerais.

Trilha para a Cachoeira Santa Bárbara

Em suma, para chegar até a cachoeira Santa Bárbara você deve enfrentar uma trilha com sol bastante quente, na maioria dos dias. Saindo do local em que você contrata o guia, é oferecido um carro 4×4 em que todas as pessoas vão sentadas na carroceria.

O valor desse percurso é de 5 reais. Por cerca de 4 km o carro passa por uma estrada de terra bastante esburacada e até por pequenos riachos.

A vista é linda! Chegando no ponto final, todos descem do carro e continuam o caminho a pé. O caminho é de aproximadamente 1 km e bastante tranquilo, porém o sol forte prejudica bastante.

Certamente, recomendamos levar bastante água para se hidratar. Chegando no final da trilha, a mata é fechada e você passará por pequenas pontes, raízes de árvores e terá que subir algumas pedras, mas nada de muito difícil.

Um pouco antes de chegar na Cachoeira Santa Bárbara, você encontrará a Santa Barbarazinha, com uma queda bem menor e com quase nenhum visitante, mas vale a pena fotografar.

Cachoeira Santa Bárbara

Cachoeira Santa Bárbara

Faltam palavras para descrever essa cachoeira. Com um azul muito lindo, não é por pouca coisa que ela é conhecida quase no país todo. Sobretudo, cercada por uma mata fechada, pedras e muita raízes de árvores, o lugar é sensacional.

A queda tem cerca de 30 metros e é impressionante. Portanto, para quem sabe nadar, é possível chegar em baixo da queda e desfrutar da água caindo sob a cabeça. Há locais na cachoeira que o turista consegue ficar de pé, sempre tomando cuidado com as pedras no fundo.

Acima de tudo, o tempo de permanência de cada grupo na Cachoeira Santa Bárbara é de 40 minutos, para evitar a lotação do local. Certamente o local é perfeito para lindas fotos, refletindo suas águas cristalinas e toda a natureza ao redor.

Cachoeira Capivara

Bastante bonita também, a Cachoeira Capivara é recomendada pelos guias locais. Conhecemos essa cachoeira após a visita a Santa Bárbara.

Portanto, com uma pequena trilha de uns 500 metros e com bastante descidas, o trajeto não é muito complicado. O tempo de permanência na cachoeira também é de 40 minutos.

A maior queda tem 40 metros e a beleza do local, com muitas pedras, é maravilhosa. Em suma, com um poço enorme, é ótima para banho e aliviar o calor da região.

Na hora de subir a trilha para ir embora, é possível ter uma vista ampla da região, com muita natureza e belezas surreais.

Almoço na comunidade Kalunga

Para quem quer aproveitar a Cachoeira Santa Bárbara e as demais, e além disso, almoçar nos restaurantes da comunidade, estará muito contente com essa informação.

Dentro da comunidade existem diversos restaurantes, antes de iniciar as trilhas, você deve comunicar o guia que deseja almoçar mais tarde em algum restaurante. Portanto, com a sua reserva feita, você poderá almoçar e conhecer um pouco mais da alimentação e da cultura local.

O almoço sai por 30 reais e é muito bem servido. Além do almoço, é vendido sucos de frutas típicas da região, muito gostoso!

Melhor época para visitar a Cachoeira Santa Bárbara

Como o Brasil é um país que não tem as estações do ano bem definidas, é sempre necessário acompanhar a previsão do tempo. Portanto, recomendamos sempre ir nas estações de seca, para encontrar a água limpa nas cachoeiras.

Os melhores meses para visitar a Chapada dos Veadeiros são julho e agosto, no qual a probabilidade de chover é bem baixa.

Simplicidade da população local

Para quem gosta de simplicidade, humildade e muita natureza, estará no lugar perfeito. Em suma, a Comunidade Kalunga, além de conter a linda Cachoeira Santa Bárbara, contempla uma população muito humilde e acolhedora.

Em outras palavras, o convívio por um dia com eles faz você repensar e agradecer por todas as experiências da vida. Ou seja, saber que eles vivem lá há muito tempo e, conseguem viver sem muito luxo, é um aprendizado enorme.

Dicas gerais

A seguir, fizemos uma pequena lista de dicas bastante úteis para os turistas:

  • Leve repelente (pernilongos não faltam no local);
  • Leve algum lanche na bolsa;
  • Não esqueça do protetor solar;
  • Vá com roupas leves, tênis para trilha e muita disposição;
  • Leve dinheiro em espécie, os locais não passam cartão;
  • Confira o combustível e a manutenção do carro, existem poucos postos de gasolina pela região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *